O RAP é Intervenção Social e Intelectual

Xitiku ni Mbawula conseguiu, depois de vários anos, lançar o seu álbum de estreia lá vão poucos meses. A recepção, não poderia ser a melhor, afinal, as 500 cópias de A kaya, título do disco do grupo constituído por dois membros, esgotou logo na semana a seguir ao lançamento, daí ter-se solicitado o segundo lote para colmatar a procura.

O sucesso do álbum, de acordo com os integrantes, não vem ao acaso. A kaya está a ser bem recebido porque, explica Dingzwayo, antes de as músicas serem feitas, há uma atenção à forma como as pessoas se comportam e como se relacionam num determinado meio. Depois disso, Xitiku ni Mbawula tenta transcender para uma dimensão imaterial, donde, tendo constatado um problema, avança com a sugestão de uma provável solução. “Essa transcendência é importante porque, como pessoas, fazemos parte dos problemas que constatamos, mas, estando num outro nível, como artistas, conseguimos nos abstrair para olhar a realidade de outra forma”.

E porque fazer música em dupla não é tão simples como fazer individualmente, Dingzwayo explica que daí não surge nenhum problema. O rapper revela que o grupo sempre defendeu que a sociedade moçambicana deve se esmerar em encontrar um ponto óptimo, quando se confronta com conflitos. “A diferença de personalidades também é um conflito, principalmente no que diz respeito à música. SGee vem com ideias que eu rejeito e eu também apareço com ideias que ele recusa. O mais importante é mesmo esse ponto óptimo. Afinal, as diferenças podem nos fazer bem se nós as aceitarmos”.



Em A kaya, Xitiku ni Mbawula aborda o HIV/SIDA, na música “Tlanga upimela”, pois o grupo está convicto de que ainda é necessário. No entanto, mais do que falar da doença ou da prevenção, a dupla entende que é crucial que se fale bem sobre o tema que ainda não está esgotado. “Parece que o nível de ignorância em relação à doença evoluiu para pessoas entendidas. Então, temos que comunicar bem a mensagem sobre o HIV/SIDA. Se conseguirmos veicular a mensagem como deve ser, podemos, inclusive, contribuir para reduzir os níveis de seroprevalência”. E, tendo o texto numa batida de RAP, para o grupo, é uma vantagem porque o ritmo abrange muitos jovens. “Temos, de facto, de moçambicanizar a mensagem à volta do SIDA e esse é o nosso foco, a partir do nosso estilo”.

Na percepção de SGee, depois de tantos anos a enfrentar conotações pejorativas, hoje o RAP está a conquistar mais público, com mais abertura. “Hoje em dia o RAP/ Hip-Hop já é objecto de estudo nas academias. Os próprios fazedores do RAP, estilo de reivindicação, fizeram com que o estilo se incorpore noutros. E isso é bom porque vai ganhando diferentes formas. “O RAP é uma maneira de intervenção social e intelectual”, rematou Dindzwayo. Não querendo ficar calado, SGee sublinhou a seguir: “E o RAP vai continuar a ser um instrumento de luta, reivindicação e educação, tanto que, sendo eu professor, uso o RAP como instrumento didático em alguns momentos da aula, e tenho conseguido resultados positivos do ponto de vista do desempenho académico dos meus alunos”.

No sexto tema deste A kaya, “Afrika”, uma voz sugere para que o continente não aceite que os estrangeiros façam e desfaçam. O grupo entende que a mensagem é oportuna porque África ainda não sabe para onde deve caminhar. “Há um reeditar do passado colonial, quando olhamos para África, neste momento. Estamos numa nova corrida para o continente, com pilhagens de recursos como madeira, enquanto temos escolas em que as crianças aprendem sentadas no chão. Então, temos que repensar na forma de perseguirmos esse nosso objectivo comum de levar o continente avante”, consideram Dindzwayo e SGee.

Xitiku ni Mbawula: a missão, o agradecimento e a gratidão
Para Xitiku ni Mbawula, ter microfone na mão representa a responsabilidade de dizer o que os outros gostariam de dizer. “E com o microfone conseguimos fazer com que as pessoas reflictam um pouco sobre as suas vidas e aprendam com o que nós sabemos, afinal Xitiku ni Mbawula não somos apenas nós, mas todos que se identificam com a nossa causa, este fórum de contar estórias com objectivo de dar direcção”.

O CD, constituído por 19 temas, contou com a participação de Isabel Novella, Hawayu, Iveth, Simba, Azagaia e Face Oculta. Estes são os rostos que o grupo acreditou neles para lhes ajudar a fazer o álbum. A kaya tem três cantoras. Nada fortuito. O grupo quis garantir a inclusão da mulher, que é celebrada numa das músicas.
Um dos temas mais conhecidos deste disco é “Samora Machel”, porque, para o grupo, calha sempre bem cantar aquele que ofereceu uma nação aos moçambicanos, uma pessoa com atitude e que trouxe o conceito de unidade nacional ao país.

A música mais nova do disco é “Khanimambo”, gravada como single, mas inserida em A kaya para agradecer ao apoio recebido.

Fonte: O País

COMMENTS


Nome

Acapela,6,Acoustico,54,African,29,Afro,218,Afro Bang House,14,Afro Beat,471,Afro Dub,6,Afro House,875,Afro Music,5,Afro Naija,181,Afro-Funk,19,Afro-Jazz,24,Afro-Pop,230,Afro-Samba,2,Afro-Soul,19,Afro-Trap,9,AfroMoz,1,AfroPop,8,Albuns,173,Alternativo,9,Ambiente,1,Angola,1,Arocha,2,Audio,12,Azonto,47,Banger,89,Beat Tapes,50,Behind The Scene,1,Blue,2,Blues,1,Bounce,39,Classic,4,Club,9,Country,5,Cover,22,Cyphers,18,DANCE,102,Dancehall,50,Deep Fusion Club,54,Deep House,198,DJ,164,DNA,1,Documentário,8,Dub,6,Dubstep,2,Dzukuta,36,Easy Listening,2,EDM,2,Electro-House,12,Electronic,2,Entretenimento,134,Entrevista,149,EP,263,Fabio dance,12,Festival Trap,1,Folk,1,Freestyle,116,Funana,2,Funk,32,Fusion,11,Fusion Beat,1,Gangsta Trap,4,Ghetto Zouk,444,Ghetto-Funk,1,Gospel,35,Gqom,163,Groove Beat,1,Groovy Dancehall,1,Hip-Hop,1300,HipHop,456,House Music,193,Humor,10,Indie,9,Instrumentais,24,Interlude,1,Jackin House,3,Jam,1,Jazz,12,Jazz Mapiano,1,jerk,12,Kizomba,1646,Kuduro,72,Kwaito,3,Kwaito House,15,kwassa,9,Kwassa-Kwassa,9,Letras,17,Live,61,Love,89,Lyric,6,Mapantsula,1,Marrabenta,216,Mashup,4,Mixs,224,Mixtapes,145,Moz Velha Guarda,4,Música,1885,Muthimba,1,Nhambarro,6,Nigeria,3,Noia,25,Noticia/Publicidade,15,Old Funk,1,Pack,1,Pandza,235,Passada,19,Pedidos,45,Performance,115,Pop,71,Preview,1,Progressive House,6,Promo,99,Psychedelic Hip-Hop,3,Puluvundza,28,R&B,489,Radio Session,22,Raggaeton,24,Rap,1925,Rap Battle,18,Rap Tropico,1,React,1,Reagge,25,Reggae,5,Revolution,1,RnB,158,Rock,15,Rock & Roll,2,Rock-Soul,12,Romanticas,4,Rumba,1,Salsa,2,Samba,10,Samples,1,Sax,2,Semba,23,Single,154,Slow,2,soul,94,SoulFul Music,63,Stream,2,Studio Session,7,Sungura,1,Tarraxinha,116,Teaser,121,Tech House,3,Text,1,Thufana,32,Tour,1,tra,2,Tracks,1414,Trailer,1,Trance,1,Trap,12,Trap Beat,232,Trap Soul,77,Trapnificent,13,Tropical,43,Tropical House,3,Tropical Raggaetton,2,Tsonga-Traditional,11,Turn Up,28,TV,14,TV Show,19,Txingwêre,1,Underground,91,V.A,34,va,2,Vans Beatz,2,Vanzon,2,Videos,2106,World Music,18,Zed Beats,2,zouck,17,Zouk,942,
ltr
item
CurteBoaMúsica | + Música No Seu Ouvido.: O RAP é Intervenção Social e Intelectual
O RAP é Intervenção Social e Intelectual
https://2.bp.blogspot.com/-SWvbZddLrBI/Wld6CIOpvRI/AAAAAAAAeI4/vf8UHpH2ZdoQsRyT5-eftqyiEwtHt0SOACLcBGAs/s400/XITIKU.jpg
https://2.bp.blogspot.com/-SWvbZddLrBI/Wld6CIOpvRI/AAAAAAAAeI4/vf8UHpH2ZdoQsRyT5-eftqyiEwtHt0SOACLcBGAs/s72-c/XITIKU.jpg
CurteBoaMúsica | + Música No Seu Ouvido.
https://www.curteboamusica.info/2018/01/o-rap-e-intervencao-social-e-intelectual.html
https://www.curteboamusica.info/
https://www.curteboamusica.info/
https://www.curteboamusica.info/2018/01/o-rap-e-intervencao-social-e-intelectual.html
true
7616110580457735873
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE PESQUISAR ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share. STEP 2: Click the link you shared to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy